Ti Ti Ti da Pietra

Emoções de ser mãe em tempo real

Leite artificial. Não é tão vilão assim 26/10/2010

Filed under: Aleitamento,Saúde — Ti Ti Ti da Pietra @ 10:56
Tags: , , , ,

Engrossando a massa das mamães que cospem para cima, estou eu aqui. Como contei aqui, estou enfrentando alguns problemas em relação a amamentação. O que está acontecendo é que a fome da Pietrinha está maior do que o leite que a mamãe consegue produzir. Depois de 1 semana de tentativas – porque primeiro filho é assim, tentativa e erro, ontem passamos uma ótima noite.

Então vou começar a contar de onde parei no último post sobre o assunto. Como havia falado, minha tinha tia veio aqui em casa e deu algumas dicas que foram:

– Se a Pietra está sugando é porque tem leite;

– Ela tem que ficar o tempo que quiser no peito para o leite mais gordo, que é o que fica no “fundo” do seio poder sair;

– É esse leite que vai saciá-la.

Então, resolvi passar mais uma noite só no peito. Resultado, ela acordou 23h, 2h, 4h e 6h. Detalhe. Com a barriga roncando.

E ai para o bem dela e para o bem da minha sanidade mental resolvi dar o complemento. E ontem fiz isso. A última mamada do dia, a de 23h 30, ofereci 100 ml de Aptamil, ela só mamou 80, mas foi suficiente para chegar até às 4h da manhã, quando minha mãe pôs ela para dormir de novo e só acordou 5h 20. Nessa hora ela mamou no peito e só acordou 8h 30. Perfeito!

Então vamos aos sentimentos. Porque se não tiver um tiquinho de culpa não é mãe, certo?

Sentimento 1: me senti meio egoísta sabe. Como se estivesse abrindo mão das mamadas noturnas da minha filha para eu dormir melhor. Depois pensando bem, concluí que não. Dormir bem é bom para todo mundo, não só para mim. Crianças crescem enquanto dormem, e como a pediatra dela disse, ninguém precisa comer de madrugada.

Sentimento 2: fracasso. Eu só substituí uma mamada, mas mesmo assim senti que não dei conta. Quando engravidei li absolutamente tudo que encontrei a respeito de gravidez e crianças. Idealizei meus sonhos românticos em relação a vários assuntos. E é claro que amamentação exclusiva era uma delas.

Opa, depois do parto normal que virou cesária, essa é a segunda coisa que jurava de pés juntos que não faria. Pois é, é melhor jurar depois de passar.

Bjs

Helena

 

Depressão pós parto e baby blues. É normal tá 13/10/2010

Filed under: Comportamento,Saúde — Ti Ti Ti da Pietra @ 13:46
Tags: , , ,

Dia mais feliz do mundo!

Mãe mesmo sem trabalhar acorda cedo. Minha rotina televisiva começa com Tecendo o Saber. Você já viu esse programa? Se for mãe provavelmente sim, porque passa às 5h da manhã na Globo. Mas não é sobre isso que vim falar. Hoje cedo foi abordado no RJTV o tema depressão pós parto. Eu acho super importante que as mulheres grávidas se interem sobre assunto que é mais comum do que a gente pensa, e não, não é coisa de maluco.

Assim que descobri a gravidez passei por uma barra. Marido desempregado, nós na Bahia sem a família, eu trabalhando em um canteiro de obras e acordando às 4h 20 da manhã para chegar ao trabalho às 6h 30. Meu primeiro trimestre foi complicadíssimo, passei grandes períodos sozinha lá. Sozinha mesmo, porque meu marido veio para Rio a procura de novas oportunidades e o único casal de amigos que tínhamos lá também veio para o Rio. Imagina. Grávida no primeiro tri + trabalho dificil + solidão + ansiedade +++ = eu muito triste. Resultado tive contrações e iniciei um processo de depressão. Por conta disso fui afastada das minhas atividades no quarto mês de gestação.

Essa situação acendeu  meu alerta para problemas pós parto. Nessa época só tinha ouvido falar sobre a DPP – depressão pós parto, que acomete cerca de 10% das mulheres que dão a luz. Pesquisando na universidade google fiquei sabendo que também existia esse tal de baby blues. Que diferente da DPP não é uma doença e não exige tratamento.

O baby blues é uma tristezinha, uma melancolia que aparece geralmente até o quarto dia depois do parto e pode durar até uma semana. Já a DPP aparece entre a segunda e sexta semana depois do parto e a mãe acaba tendo delírios, idéias esquizofrênicas e confusão mental. Punk, mas, tratável. Um baby blues intenso pode evoluir para uma DPP por conta disso todas as mulheres devem ser observadas logo após o parto.

Minha experiência. Graças a Deus (literalmente) tenho uma família de sangue e emprestada (do meu marido) que me deu um suporte ímpar. Mas mesmo assim acho que tive um baby blueszinho. A Pietra nasceu no dia 6 de agosto, dia 8, que também era Dia dos Pais, chegamos em casa. Dois atrapalhados, eu cheia de conhecimento proveniente da internet e ele cheio de vontade de aprender a lidar com ela. Bom, combinamos que a biza traria nosso almoço. Tocou o interfone 30 minutos depois de chegarmos. Pensei: Almoço! Não. Eram nossas primeiríssimas visitas.

Pessoas super queridas, mas mesmo assim fiquei nervosa. Ainda tava entendendo minha filha, não sabia amamentar direito, não tinha nada gostosinho em casa para servir e eu ainda estava a quase 48 horas sem dormir. Mas até aí ainda tava ok, de repente a Pietra fez cocô – cocô não, mecônio. Tinha que limpar lavando porque a pediatra ensinou assim. Tirei a fraldinha e fui com ela para o banheiro. Todo mundo queria ver eu limpando o bebê e entrou no banheiro junto, e eu lá toda sem jeito, não conseguia limpá-la, minha roupa já toda molhada e muitos muitos flashies já que seria um suposto primeiro banho.

Entrei no quarto fechei a porta e chorei. Me senti incompetente, sem jeito, a pior mãe de todas. Depois passou, acho que no dia seguinte. Ainda devo uma visita calma a essa familia. Acho que isso foi meu baby blues.

Para quem ainda não teve bebê, se prepare para o baby blues e aproveite. Faça charme para o marido, peça ajuda da família e tenha certeza que passa.

Bjs

Helena

Link do RJTV

 

Vacina dos 2 meses. Também doeu na mamãe 12/10/2010

Filed under: Eventos,Saúde — Ti Ti Ti da Pietra @ 20:42
Tags: , , , ,

Essa foi a BCG. A de ontem não teve foto

Sempre que grandes eventos vão acontecem na vida da Pietra (vacinas, pediatra, etc.) tento agendar para coincidir com as visitas do papai. Com as vacinas dos 2 meses também foi assim. Bom, como disse em outro post não deu certo. Tentamos vacinar na semana passada, mas como faltavam 2 dias para ela completar 2 meses a enfermeira do posto não deu, para prolongar minha agonia.

Sim, eu não gosto de dar vacinas nela. Tenho nervoso de segurar a perna dela, sei lá, vai que ela puxa a perna e dá zica. Então recrutei minha mãe.

Logo pela manhã dei banho dela, pensando “ai papai coitadinha”. Engraçado que eu nunca tive frescura com esse negócio de agulha, sempre tirei sangue, tomei vacina, injeção, na boa, mas com a Pietra… Pior ainda que todo mundo fala dessa bendita vacina, a quádrupla. Que dói, que dá febre, que o bebê fica enjoado… blá, blá, blá.

Bom, lá fomos nós. A primeira parada foi na farmácia para comprar o Tylenol Bebê, que precisa dar antes de dar a vacina para amenizar a dor e a febre. Comprei. Primeira tentativa de dar o remédio ainda na farmácia. Frustrada, Pietra cuspiu cada gota cor de rosa com gosto de morango (acho que farmacêutico nunca comeu morango). Suja roupa, mancha pano de boca de bichinho de pelúcia, deixa a mãe mais estressada ainda. Segunda tentativa. No carro. Joguei o remédio na boquinha e coloquei o peito. Nada. Minha tentativa de saborizar o leite materno também foi frustrada.

Fiquei com medo de tentar dar de novo e fomos assim mesmo para o posto. Hora da verdade. Depois de trocar um cocô atômico no posto fomos para a salinha. A primeira foi a vacina contra o Rotavírus. A vacina é ministrada via oral, e a quantidade de líquido é grande. Achei que ela fosse cuspir de novo, mas não. A segunda foi a quadrupla, uma injeção na perninha. Minha mãe que segurou, eu fiquei só no incentivo moral. A terceiro foi a pólio. Duas gotinha, relex.

Voltamos para casa por volta de 10h, e ficamos esperando as reações colocando gelinho na perna.

-10h 30 – ficou chorosa, enjoada, repuxando a perninha (aqui eu chorei, super mami de novo que segurou essa ponta)

– 16h – febrinha, 37,5. Apliquei outra técnica para dar o Tylenol. Dei junto com o mamá. Enquanto ela ainda estava no peito, coloquei a seringa no cantinho da boquinha e fui colocando o remédio aos poucos. Pronto, leite materno com suposto sabor de morango.

– 2h – febrinha. Outra remessa de leite de morango.

Ela dormiu muito o dia todo e a noite também. Hoje acordou bem, teve febre quase agora, na parte da tarde e só. Está ótima, sorridente e esperta. Nesse momento está colinho da biza Adébia aproveitando o Dia das Crianças.

A próxima remessa de vacinas será em 1 mês. Meningocócica e pneumocócica.

Bjs

Helena

 

Mãe exagerada. Achei que era refluxo 05/10/2010

Filed under: Saúde — Ti Ti Ti da Pietra @ 17:22
Tags: , ,

Eu sempre tive uma quedinha por doenças. Não que eu goste de ficar doente, o negócio é que sempre acho sintomas de qualquer doença que eu escute em mim. Tem gente que me chama de hipocondríaca, mas acho que não chega a tanto.

Então, imagina agora com a Pietra. Fico alerta o tempo todo em cada espirro que ela dá, e o telefone da pediatra dela é o número 1 da discagem rápida. Não quero nem saber, tive dúvida ligo mesmo.

Enfim, esses dias achei que ela andou gofando demais. Em algumas mamadas pareceu que saiu o leite todo que ela tomou e limpinho. Liguei para a médica e contei o que estava acontecendo e ela me orientou a começar a dar medicação para refluxo. E ai me deu dozinha. Tão miúda e tomando remédio. Resolvi dar uma pesquisada sobre o assunto e concluí que refluxo é muito mais intenso do que tinha acontecido com ela. A criança não ganha peso (o que não é nenhum problema para a Pietra), chora e fica irritada depois de mamar, tosse demais e vomita com frequencia.

No fim das contas, achei que gofar umas 2 ou 3 vezes no dia não é tão frequente assim.

Achei também algumas dicas para diminuir essas regurgitações.

– Antes e depois de mamar sempre deixe o bebê verticalizado, num ângulo de pelo menos 30 graus por 30 minutos, pode ser no bebê conforto por exemplo;

– Evite muita agitação depois de mamar;

– Se puser o bebê deitado depois da mamada, sempre ponha o bebê com a cabeça mais elevada que as pernas. Eu tenho aquele travesseiro anti-refluxo. Custa cerca de R$ 50,00.

Olha, melhorou bastante. De vez enquando ela ainda gofa, mas bem menos. Poupei minha filhota de entrar no remédio.

Mais explicações ai embaixo. Se souber outras dicas deixe um comentário.

Bjs

Helena

 

 

Dores e delícias da amamentação 30/09/2010

Depois de ter a Pietra fiquei impressionada com a quantidade de bebês que entram na mamadeira precocemente. Tudo bem, eu sei que as dificuldades são inúmeras, como rachaduras, dores, pouco leite, etc., mas, cada sofrimento vale a pena passar. Pelo menos para mim foi assim.

Graças a Deus eu não tive grandes problemas. No início meu seio esquerdo machucou um pouco e cada vez que a Pietra mamada eu via estrelas, mas, passou rápido.

Depois o problema foi outro: empedramento. Dolorido, chato, ruim de cuidar. Tive febre de 39 graus, e demorou mais ou menos 1 semana para ficar bom.

Vou deixar umas dicas de como foi e de como está sendo amamentar minha princesa.

– Comecei a me preparar para a amamentação antes do nascimento. Confesso, quase não passava toalha, nem bucha. A única coisa que fiz religiosamente foi passar a pomada Millar, que minha obstetra recomendou.

– No início dá muita insegurança. Sai pouquíssimo leite (que na verdade é colostro), a criança chora de fome toda hora. Nesse primeiro momento, 2 ou 3 dias depois do nascimento, o peito começou a ferir. Usei Lansinoh. Em 1 semana sarou e parou de doer quando ela pegava.

– Conchas de amamentação. Foi a melhor coisa que me recomendaram, na verdade minha amiga Fernanda me emprestou as dela. Usei desde o primeiro momento. Benefícios: não deixa o leite vazar na roupa, ajuda a não deixar o leite empedrar e alivia o bico do peito porque protege do contato com a roupa. O que não foi tão legal: Tem que esvaziar toda hora, na rua é meio constrangedor de tirar, por isso, quando saiu só coloco os absorventes.

– Empedramento. Uma tarde resolvi tirar um cochilo e não coloquei a concha. Acordei com febre e um vermelhão no seio, meu leite tinha empedrado.

O que eu fiz:

– Primeiro: providenciei uma bomba para retirar o excesso de leite que ficava no peito. As primeiras tentativas de usar a bomba não foram legais, doía, quase não saía nada. Depois a gente pega o jeito e tira em 20 minutos o excesso.

– Fazia compressas com água fria. A água fria diminui a produção de leite. Então nesse caso NUNCA faça compressas quentes, ao contrário do que muita gente acha.

– Deixei a Pietra mamar bastante no peito que estava com problema.

Eu super recomendo as conchas de amamentação e a bomba para retirar o leite (não dei importância quando engravidei, mas , ajuda demais).

Com o tempo o organismo começou a produzir quase a mesma quantidade de leite que a Pietra mamava. Agora é só delícia!

Dessa vez sem fotinho, mamãe envergonhada.

Fonte: Revista Crescer

 

Vacinas contra meningite 28/09/2010

Filed under: Notícias,Saúde — Ti Ti Ti da Pietra @ 21:08
Tags: , , ,

Hoje, no programa Mais Você, foi falado sobre meningite. Uma doença super grave que infelizmente ainda não tem todas as vacinas na rede pública de saúde.

As vacinas para doença são: Tetravalente (1, 2 e 3 doses); Meningocócica c e Pneumocócica. Além da BCG que previne contra tuberculose e suas formas mais graves como a meningite.

Estão disponíveis nos postos de saúde as vacinas BCG e tetravalente. As meningocócica c e pneumocócica só na rede particular.

Liguei para a clínica Kinder e lá a vacina C Conjugada, que previne contra a meningite meningocócica do tipo c, custa R$ 135,00 e a pneumocócica custa R$ 250,00. Esta última também previne contra outras doenças como penumonia, otites e infecções da corrente sanguinea.

Segundo o site da clínica de imunização Prevcenter, a C Conjugada pode ser dada a partir de 2 meses e a Pneumocócica a partir dos 3 meses. Mas é claro que vale conversar com o Pediatra né.

Eu sei que o valor é salgado, mas vale deixar de sair para jantar para juntar essa graninha.

 Também achei esse vídeo que fala sobre a doença. Prevenção ainda é o melhor remédio.

Bjs

 

 
%d blogueiros gostam disto: