Ti Ti Ti da Pietra

Emoções de ser mãe em tempo real

Vilarejo 26/11/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 1:04
Tags: , , ,

Que palavra descreve o que eu, carioca, estou sentindo agora. Acho que uma boa palavra seria alivio. Apesar de toda tristeza e medo por conta dessa situação mais que deplorável, sinto-me aliviada porque pela primeiro vez percebo que os incomodados são os bandidos e não os mocinhos.

Quem achou que as facções criminosas sairiam das favelas abanando bandeirolas brancas enganou-se. Passar por tudo isso agora – depois de anos de omissão, é necessário. Quero uma cidade mais segura e melhor para criar minha filha, e se precisar ficar refém da minha casa como está acontecendo agora, ficarei. Quem sabe um dia a gente chega perto do vilarejo descrito pela Marisa Monte.

 

Educação de filhos. Estamos realmente preparados? 16/11/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 14:17

Tarefa difícil. Ainda não começamos a educar realmente. A Pietra ainda é muito pequena e apesar de tomarmos algumas medidas que ela já entende, to aguardando essa fase com um pouquinho de medo. As vezes me pago pensando que a tarefa de educar quando bem executada produz seres humanos maravilhosos, e quando mal feita não precisa nem comentar né, tá cheio de exemplo por aí tocando o terror em restaurantes e casa de amigos.

Recebi esse email da minha mãe, achei ótimo e resolvi compartilhar. É o resumo de uma palestra do psiquiatra e educador Içami Tiba. Tenho certeza que educar dói mais nos pais que nos filhos, mas é uma tarefa fundamental. O que mais gostei é que em nenhum momento ele fala de traumatizar os filhos. O castigo quando faz parte do processo de educar não traumatiza criança, muito pelo contrário. Vivemos em uma época de crianças super valorizadas e pais traumatizados.

Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba, 23/07/08.

O palestrante é membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho “Via de Acesso”.  Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior. Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração – o primeiro nacional.

 
1º- lugar: Sigmund Freud;
2º- lugar: Gustav Jung;
3º- lugar: Içami Tiba.

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc…

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve ‘abandoná-lo’.

13. A mãe é incompetente para ‘abandonar’ o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem ‘vidas’, e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. ‘Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador’. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro ‘a rodo’ para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

Bjs.

Helena

 

Dia feliz, 3 meses da princesa 06/11/2010

Filed under: Aniversário,Eventos,Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 8:30
Tags: ,

Muito muito muito feliz!!!!

Hoje minha pequenininha completa seu primeiro trimestre. Foi um trimestre de grandes conquistas. Sabe o que aconteceu de novo?

Ela vocaliza muitos sons. Deliciosos. Começo meu dia batendo um super papo. Tem hora que ela choraminga falando mamama … sei que ela não tá falando, mas é legal escutar.

Ela começou a pegar algumas coisas. Os preferidos são os cabelos de lã da boneca que a vovó Nana deu e o travesseiro com o Salmo bordado. Outro dia minha mãe pegou ela de madrugada com o cobertor no rosto (já aprendemos também, nada de cobertores).

Ela sabe o que quer. Já consegue expressar o que quer sem chorar para caramba. A cara feia diz tudo.

Ela começou a por as coisas na boca. Começando pela mão, e novamente os cabelos de lã da boneca.

Babar pouco é bobagem. Minha filha produz rios de baba, e olha que ainda nem começou a nascer dente.

Hoje a noite a vó Nana vai fazer uma festinha para a princesa, depois posto as fotos.

Bjs

Helena

 

Meu primeiro selinho 04/11/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 8:00

Recebi ontem do blog da Clauo meu primeiro selinho. Como muita gente que lê o Ti Ti Ti não é blogueiro vou explicar. Dar selos é uma forma de dizer “eu gosto do seu blog”. É uma demonstração de carinho e de presentear virtualmente. Os selos geralmente possuem algumas regras impostas pelo criador do selo.

As regras do meu primeiro selinho são:

– Compartilhar com 5 blogueiras;
– Postar uma frase respondendo a seguinte pergunta: por que o seu blog é tudo de bom?

Primeira missão: estou na blogosfera a pouco tempo, mas existem blogs que me identifico e que gosto muito de ler. Então darei o selinho para estes.

Blog do Pietro, da amiga Alê. Mamãe de muito bom gosto. rs

Cantinho da Sabedoria, da minha amiga real e agora virtual Juliana

Lucca, Minha vida, da amiga Renata. Também mamãe de agosto

Meus Filhos … Minha Vida, escrito pela amiga Geovana twitteira de carteirinha

Nosso Danielzinho, escrito pela amiga Lauri. Mamãe de fé admirável

Missão 2: meu blog é tudo de bom porque espalho para o mundo a melhor coisa da minha vida, minha filha, suas descobertas e aventuras.

Espero que esse seja o primeiro de váááários!

Olha ele aí!

 

Ginásio de atividades Fisher Price. Tá chegando o nosso! 02/11/2010

HIUUUUUPIIIII!!! To parecendo criança na véspera do Natal quando descobre que vai ganhar o presente que pediu ao velhinho. Que bobeira né. Mas, mãe é boba mesmo, comemora tudo de filho.

A um tempo eu quero um tapetinho de atividades da Fisher Price, daqueles com quinhentos bichos pendurados, espelhinho, que toca música, que aspira o chão (brincadeira, brinquedos infantis ainda não cumprem duas funções primordiais na vida feminina, entreter crianças e limpar a casa). Fiquei com mais vontade ainda de ter depois que a princesa deu um salto mortal do sofá e eu me convenci que ela TEM QUE ir para o chão.

Pesquisei os precinhos, ou melhor preções, nas lojas aqui no Brasil. Carinho né? Olha os preços daqui e daqui. Foi ai que demos uma baita sorte. Conseguimos comprar de uma pessoa que vem de fora por um valor BEMMM mais em conta. Aí comprei! Vai chegar no fim do mês. Aproveitei e comprei também uma barra de atividades para carrinho, que acredito que irá me preporcionar algumas horas de descanço para minha coluna. O valor que comprei os 2, não comprava nem 1. Oh o valor da barrinha aqui.

Mais uma vez HIUUUUPPII!!!

Olha aí o tapete dela:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Ti Ti Ti também é contexto, se alguém tiver interesse me manda um email.

Bjs

Helena

 

Meu dia estranho 28/10/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 11:31

Gente, ontem eu tive o dia mais estranho da minha vida. Estava tudo bem, eu tava brincando no sofá e minha mãe tava do meu lado fazendo qualquer coisa. De repente ela sumiu. Eu fiquei tentando fazer umas coisas novas. E consegui! Eu virei. Só que caí no chão. Até que fiquei assustada na hora e chorei, mas a minha mãe… parecida bebê de berçário. Depois ela me levou num lugar estranho, cheio de gente, tirei foto com uma máquina gigante. Do nada minha vó Aída apareceu. E para terminar minha mãe dormiu no meu quarto. Não entendi nada. Foi um dia muito estranho. To contando tudo pra minha vó aí embaixo.

bjinhos

Pietra

Traduzindo: ontem eu estava com a Pietra aqui em casa. Ela estava no sofá, como sempre ficava até ontem,e eu fui à cozinha. Fui rápido, mas apareceu uma barata e me distraí matando a barata. Demorei demais na cozinha. Foi quando eu ouvi o pio choro de todos. Um berro desesperado. Quando cheguei na sala olhei para o sofá e não vi a Pietra, cheguei mais para frente e ela estava de barriga para baixo no chão chorando muito. Fiquei mais do que nervosa. Liguei para a pediatra e ela achou melhor levar no hospital para tirar um raio x.

Fomos de taxi porque não tinha a menor condição de dirigir. No hospital percebi que desespero de mãe faz transpor todas as barreiras e vergonhas. Sempre fui super envergonhada em furar fila, mas dessa vez não pensei duas vezes. Passei a frente de todo mundo e entreguei nossos documentos. Pedi para dar prioridade porque ela tinha caído no chão e estava sonolenta (foi por volta de 12h, hora que ela dorme todo dia, mas quem arrisca?).

Fiz a ficha e invadi o consultório da pediatra de plantão. Entrei e ela perguntou: Maria Clara? E eu: não. Pietra. Ela caiu no chão. Dá uma olhada nela.

A dra. (não lembro nem o nome da médica) examinou e disse que estava tudo bem, que pediria o raio x só para por precaução. Fomos para o raio x e descobri um outro lado da maternidade. A agressividade. Fomos atendidas por uma radiologista super grossa, que bufou, ficou impaciente com a Pietra… olha, que vontade de virar a mão nela, me segurei porque precisava da radiografia.

Concluindo. O raio x deu normal, e a médica pediu para observar 48 horas.

Foi um sufoco, mas tenho certeza que esse foi apenas o primeiro de muitos tombinhos.

PS.: parte engraçada da história. Diálogo entre eu e o taxista que nos levou ao hospital.

Taxista: A sra. ta nervosa, o que aconteceu?

Eu: ela caiu do sofá.

Taxista: Ihhhh. É muito alto?

Eu: não muito. Uns 50 cm.

Taxista: Ah. Com certeza machucou alguma coisa. A sra. pode não ter visto, mas com certeza machucou. Ou bracinho, ou perninha.

Eu: Hum.

Taxista: deu água?

Eu: ela mamou.

Taxista: Ih… Não pode dar água não. Nem comer nada. Peraí que vou comprar um chocolate para a minha mulher. (chamou o vendedor no sinal). Criança não pode ficar em lugar alto sozinha não. A sra. tem que colocar no colchonete no chão.

Eu: Hum.

Taxista: Deu R$ 10,50. Boa sorte lá.

Meu pensanto: Vai pra P***********.

Bjs.

Helena

 

Ética na blogosfera. Eu levanto a mão 25/10/2010

Filed under: Ética,Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 13:55
Tags: , , , , ,

Na última semana a blogueira Camila dona do blog http://mamaetaocupada.blogspot.com, teve seu perfil copiado. Exatamente, o perfil. Não acredito que existam muitas mulheres por ai que sejam psicólogas e mãe de 3 crianças, 2 meninos gêmeos e uma menina. Essa foi a gota d’água para muitos já plagiados blogueiros organizarem uma postagem coletiva sobre o assunto.

Que ctrl C + ctrl V existe não é novo. Acho que desde o início da internet a coisa mais fácil de se fazer é apropriar-se de um trecho de livro, de uma citação, de um artigo qualquer para enriquecer textos mais ou menos mundo virtual afora. Mas qual seria o limite do plágio? Pois é, chegamos a um capítulo meio absurdo, a cópia de um perfil, e não digo a criação de um fake, mas sim de uma pessoa que achou o outro – ou a vida do outro, mais interessante que a sua e não teve escrúpulos de apertar as quatro teclinhas mágicas e apoderar-se do conteúdo.

A vida virtual é apenas extenção da vida real. Tudo que vivo e quem sou é único. Toda mãe vacina seus filhos, mas essa pequena aventura só eu vivi, muitas mães amamentam, mas essa situação apenas eu experimentei. Só existe uma Pietra, filha da Helena e do Rudy, que detesta chupetas e está tentando se adaptar ao bico da mamadeira. Cada momento da nossa vida é protegido, não tem cópia, mesmo que outras pessoas digam que viveram coisas parecidas, existe um código de barras ímpar, uma impressão digital.

Disseminar uma ideia é a melhor parte da rede. Pensamentos maravilhosos podem ser infinitamente multiplicados, o que acho válido, uma vez que vivemos em tempos onde cada vez mais não existe o aprisionamento de ideias. De forma muito simples coisas que se passem na mente de um, passam a ser coisas que se passam na cabeça de milhares, e porque não de milhões.

Aderi a campanha pelo simples fato de que gosto muito desse mundo virtual que me permite tanta coisa, desde contar pequenas aventuras com minha filha até entender como funciona seu pequeno e complexo organismo, mas que como tudo na vida precisa sim de ética e porque não de caráter.

Bjs.

Helena

 

 

 

Ué? Cadê o leite da mamãe? 24/10/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 19:41

Situação que estressa qualquer mãe. O filho chorar para mamar e o leite? Cadê?

Desde de terça-feira, estou vivendo este cenário. Estressante. De terça para a quarta, passamos uma noite quase de terror, de criança chorando e peito vazio. No dia seguinte estava decidida entraria no leite artificial se fosse preciso. Minha idealização de amamentação perfeita até os seis meses tinham acabado de ruir no momento que vi minha filha chorar de fome. Enquanto os problemas se resumiam a seios rachados e empedrados nada tinha mudado na minha cabeça, mas quando doeu nela… o conto de fadas acabou. Exagerada? Com certeza. Sou eu mesma.

No dia seguinte as coisas não melhoraram e liguei para a pediatra. Ela me recomendou usar um remédio para aumentar a produção de leite, passou o complemento para a Pietra e pediu que eu relaxasse. Todas as recomendações ok até a parte do relaxar. Não consigo!!! Em outras épocas entrava no passiflorine, mas agora não posso mais por conta da amamentação.

Não tinha nem mamadeira em casa, ou melhor tinha, mas nem me lembrava, nunca tinha usado. Tava guardada em uma caixa no armário. Corri no mercado e comprei leite e outra mamadeira. Tudo pronto. Cheguei em casa, aprendi a esterelizar, não que seja complexo, mas, nunca tinha feito. E tentei dar depois dela mamar no peito – a pediatra pediu que só oferesse a mamadeira depois de mamar no peito. Hum. Quem disse. Parecia que tava dando jiló para a criança. Cuspiu tudo e passamos outra noite ruim.

Resultado da novelinha, fiquei até agora encucada apertando os seios a cada 10 minutos para verificar se tinham enchido. Agora a tarde recebi a visita dos meus tios Zé e Marcia, que amamentou minha prima até os dois anos. Gente, outro astral. Todos me tranquilizaram dizendo que o leite voltaria, mas ela me deu certeza que ele não tinha acabado. Conversou comigo com tanta convicção de que nada estava errado contando a sua experiência que tive certeza: meu leite não ta pouco, só tenho que oferecer direito.

Bom termino esse post com a Pietra pendurada em mim. Depois venho contar como foi nossa noite. E quais foram as dicas dela.

Bjs.

Helena

 

Dia agitado. Que delícia 15/10/2010

Filed under: Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 21:40

Estamos amando o segundo mês da Pietra. Agora ela descobriu que tem mão (graças a Deus!) e não para de por na boquinha. Bem que tento negociar com a chupeta, mas, a princesa sabe bem o que quer. E eu acho que a mão dela deve ter sabor de uva, sei lá. Ah! E os sonzinhos? Gente, que delícia. Ela acorda de manhã e bate altos papos com tudo e com todos. Da almofada ao carrinho. Isso ela puxou a mamãe, acorda bem humorada (papai não é muito do dia).

Agora o melhor de tudo. Estamos dando pequenos passeios. Quantas vezes andando pelos shoppings me pegava comentando: Que absurdo, como tem coragem de sair com um bebê tão pequeno. Eu realmente acho meio absurdo, tem criança que parece que pegou um caminho direto do berçário da maternidade para a badalação de compras sem escalas. Por isso quis fazer tudo certinho. Fiquei praticamente enclausurada no primeiro mês. As únicas saídas eram de casa para o médico, do médico para casa. Em todas as consultas perguntava: doutora quando vou poder sair, tipo vida social. E a resposta era sempre a mesma. Depois das vacinas. Nesse primeiro mês só dava escapulidas mais do que programadas.

1 – arrumava uma babá mais do que de confiança: vó, bizavó ou tios.

2 – programava o horário da mamada.

3 – VALENNNNDO! Tinha que sair, fazer tudo que tinha que fazer e voltar em 2 horas.

Até que o dia da saída chegou! Com todas as vacinas em dia resolvi me aventurar. No sentido literal da palavra, porque sair com um bebê tão pequeno é aventura.

Precisava ir ao mercado e ao shopping. Então:

1- achei uma compania. A primeira vez na rua não seria sozinha.

2- arrumei a Pietra, a bolsa da Pietra, a lista de compras, me arrumei (mero detalhe)

3-desenhei mentalmente todo o trajeto do meu apartamento até o carro, envolvendo todos os detalhes: bebê conforto, carrinho, bolsa, carteira, etc.

Tudo pronto, fomos nós. Primeira dificuldade. Colocar ela no carro, que estava com a porta quase encostada na parede, com uma big bolsa nas costas e uma criança no colo. Claro que não tinha espaço. Aí entrei no carro, coloquei ela sentada no meu colo, tirei a bolsa e voltei. Agora sim. Consegui colocar ela no bebê conforto. Parada número 1, fomos buscar a compania. ok. Parada 2, supermercado. ok. Peguei um carrinho daqueles que tem o bebê conforto. E aí, ECA! Que troço podre! Desisti. Pegamos dois carrinhos normais, em um entrou o bebê conforto dela, no outro as compras.

Mas peraí… Eu acordei, arrumei a Pietra, me arrumei, saí, busquei minha afilhada em casa, e almoço? Fomos comer no Mc Donalds (que confissão). Nesse momento se desenrola outro desafio. Dar de mamá na rua. Também sempre critiquei aqueles peitões alimentando crianças no meio de todo mundo. Então fiz uma tenda com um cueiro e a Pietra almoçou no melhor estilo acampamento. Compras feitas. Um detelhe. Descobri que tenho pânico de alguém roubar minha filha. Coloquei as compra na esteira, embalei e paguei com um olho na gata e outro no peixe. Mesmo com a compania olhando a princesa.

Depois fomos ao shopping e lá já tava craque em tirar e colocar criança no bebê conforto e no carrinho. Uma verdadeira expert. Cheia de auto-confiança. Esse passeio foi ótimo. Apesar de rapidinho. Me senti livre. Tomei café e tudo na rua. Engraçado que coisas tão corriqueiras passam a ter outro valor.

Mais uma etapa vencida! Agora nós já passeamos e vamos ganhar o mundo.

Bjs

Helena

 

Deixar ou não chorar. Dilema cruel 07/10/2010

Filed under: Comportamento,Notícias — Ti Ti Ti da Pietra @ 19:38
Tags: , , , ,

Muito antes de ter um filho, tinha a consciência que não seria uma mãe do tipo banana. Sempre tive horror de criança que se joga no chão de shopping center e responde aos mais velhos. Gritaria então! Nem pensar!!!

Sou super adepta da rotina e dos bons hábitos. Isso vale para tudo, inclusive para bebês, por que não?

Quando a Pietra foi a primeira consulta com a pediatra, ela me perguntou: Mãe, aonde ela está dormindo? Respondi: Na minha cama. E ela: Por que? Ela tem que dormir no berço dela.

Pronto, nesse mesmo dia papai colocou pé firme (ta bom, ta bom, essa me deu peninha) e a Pietra dormiu no berço. Hoje ela praticamente só dorme no berço, até os cochilos durante o dia, são no bercinho. Mas quem disse que foi fácil? Muitas vezes ela chorou, e deixamos ela chorar por um tempo. Já deixei ela chorar outras vezes, como quando ela queria fazer o peito de chupeta ou por manha pura. Não acho errado, claro que todas as necessidades dela precisam estar sanadas. Não deixo minha filha com fome, nem suja, nem se esgoelando porque quer ficar tranquila para dormir. Mas vez ou outra ela chora e chora. Claro, por períodos curtos, tipo 5 minutos.

O mais engraçado é que muita gente concorda, mas na hora que vê a criança chorando, você vira a Bruxa do 71 que maltrata menininhas. Todo mundo tem pena. Outro dia, deixei a Pietra no carrinho na porta do banheiro e estava escovando os dentes. Ela abriu o berreiro. Eu disse para ela chorar porque estava ocupada. Eis que de repente a faxineira aqui de casa passou a mão na Pietra e começou a niná-la dizendo: Ai, a mamãe tá me maltratando!

Olha, me senti meio mal na hora, mas tinha consciência que não estava fazendo nada de errado. Graças a insistência, a Pietra agora pede para mamar no horário, dorme sozinha no berço (eu a coloco ainda acordada), e está começando a aprender a dormir a noite toda.

Abaixo deixo uma reportagem da revista Crescer. Sinceramente não concordo com a teoria da Sra. Psicóloga.

E aí? Deixar ou não deixar chorando?

Bjs

Helena

Fonte: revista Crescer

 

 
%d blogueiros gostam disto: